Doutrina dos livros certos.



Extremamente denso, fala de amor por um ângulo ímpar.
De forma tão visceral a autora conseguiu relatar um amor tão bonito, tão profundo, mesmo que reprimido. 
Sou suspeito pra comentar sobre este  romance, pois é o meu preferido. Nele predomina a paisagem tempestuosa como um eco das emoções turbulentas que dominam os personagens. Bem longe de um final feliz, e pertinho deste mundinho real, faz deste livro perfeito
.



Presente de uma ex, e não menos importante que o livro acima. Tem um cantinho especial na minha estante.
 Muito envolvente, simplesmente lindo! Um romance do tempo em que não existia internet.
Durante um ano, Ana e Pedro trocaram cartas sem ao menos se conhecerem. Dois adolescentes descobrindo o amor mesmo à distância. Ela em São Paulo, ele em Belo Horizonte. E, assim, vão se escrevendo, se conhecendo, se apaixonando. 
Se você gosta de cartas, este é o livro perfeito procê, trem!




"Não podia ter havido dois corações tão sinceros, nem gostos tão semelhantes, nem sentimentos tão em uníssono, nem rostos tão amados..."
Bom, à princípio meu interesse por este livro surgiu após assistir o filme " A casa do lago" , mas me surpreendi, embora que sob um ponto de vista feminino, o livro fala sobre jogos de interesses tanto nas relações sociais quanto nas amorosas da época.
Sou apaixonado por livros épicos, e Persuasão por sua vez me dxa fascinado pela forma com que a Jane Austen descreve o ambiente.


Muito especial, presente de uma ex que de certo modo ainda é muito presente em minha vida.
Logo no ínício fiquei me questioando o porque do título, mas depois a  gente vai se envolvendo com o texto.
Sete gerações, e uma confusão danada com os Buendias, faz muitos desistirem na metade, mas para aqueles q vão até o fim, fica o contentamento por ter lido um dos melhores livros de todos os tempo, e isso na minha humilde opinião, é claro
!






Publicado originalmente em 1982, este livro é um relato do acidente que deixou Marcelo Rubens Paiva tetraplégico, poucos dias antes do Natal de 1979.
Com muito bom humor, o Marcelo não ficou se lamentando a má sorte de um mergulho mal sucedido. O texto é muito franco e direto. Feliz ano velho mostra toda a inquietação de um jovem que viveu plenamente, como se cada minuto de sua vida como se fosse o último.



3 comentários:

  1. The Wuthering Heights é, sem dúvida, o melhor livro que já li. Ótimas dicas, trem! Bjuuuu. ;o)

    ResponderExcluir
  2. Adorei "O Morro dos ventos uivantes"!! É com certeza muito denso, mas incrivelmente envolvente. Vale a pena ler !!
    P.S. Ahhh o filme não chega nem perto ;)

    ResponderExcluir